Em palestra no HUAC, procurador Raulino Maracajá alerta para volume de acidentes de trabalho no Brasil

“Os nossos dados hoje são alarmantes, mesmo sendo subnotificados. São dados de guerra”. O alerta sobre o volume de acidentes de trabalho no Brasil é do procurador do Trabalho Raulino Maracajá Coutinho Filho, que ministrou palestra, nesta quinta-feira (4), para funcionários do Hospital Universitário Alcides Carneiro (HUAC-UFCG), vinculado à Universidade Federal de Campina Grande e à Rede Ebserh.

O evento integrou a semana de capacitação dos membros da primeira Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa) da unidade de saúde. O convite para a explanação foi feito pelo superintendente do HUAC, professor Homero Rodrigues, que também fez a abertura da programação.

Segundo o Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho, entre 2012 e 2017, foram notificadas 14. 412 mortes acidentárias no Brasil. De 2012 até hoje (4), estima-se a ocorrência de 16.248 óbitos por acidente. A cada três horas, ocorre uma morte desse tipo no País. O Observatório Digital foi desenvolvido e é mantido pelo Ministério Público do Trabalho em cooperação com a Organização Internacional do Trabalho no âmbito do fórum Smartlab de Trabalho Decente.

PREVENÇÃO
O procurador Raulino Maracajá destacou a importância de participar do evento no HUAC, ressaltando o diálogo e os esclarecimentos a respeito da legislação trabalhista bem como das normas de saúde e segurança do trabalho. “O que precisamos enfocar mais é a questão da prevenção. Quanto mais a gente conseguir investir tempo e recursos — não só financeiros, mas também de pessoal — na questão da prevenção, nós conseguiremos diminuir drasticamente esses números alarmantes que têm de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais”.

Ele também ressaltou a presença no evento do Centro de Referência Regional em Saúde do Trabalhador de Campina Grande (Cerest-CG), representado por Artur Sartori, engenheiro de segurança do trabalho, e Rafael Silva, técnico em segurança do trabalho, os quais orientaram o público sobre a notificação compulsória de acidentes.

“Os dados estatísticos dependem dessa notificação. São números assustadores que vêm assolando o Brasil, inclusive com relação à Previdência. Quando se acidenta, quando tem um adoecimento desses, é a Previdência que vai sustentar essa família, esse servidor, esse funcionário, seja através de pensão por morte, seja através de auxílios. Imagina se não houvesse essa notificação. Isso é muito importante até mesmo para se trabalhar questões de prevenção e orientação, identificando locais onde os trabalhadores mais se acidentam e adoecem”, explicou o procurador.
Organizado pelo setor de Saúde Ocupacional e Segurança do Trabalho (Sost), o treinamento dos funcionários do HUAC/Ebserh começou na segunda-feira (1º) e termina nesta sexta-feira (5), quando ocorrerá a posse oficial da Cipa.
Angélica Lúcio
Jornalista | HUAC
Tel: (83) 98881-8992

​Hospital Universitário Alcides Carneiro
Ebserh – Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares
huac.ebserh.gov.br