Embora em menor proporção, vândalos prejudicam o transporte coletivo

08/02/18

O levantamento sobre os veículos atingidos por vândalos na noite do domingo passado, durante o “Folia de Rua”, demonstrava que somente em relação a uma empresa, a Marcos da Silva, quase 25% da respectiva frota fora danificada. Decorrente disto, o Sintur-JP (Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de João Pessoa) buscou audiências tanto com a Semob quanto com autoridades da área de Segurança Pública com o objetivo de medidas urgentes serem adotadas, especialmente de modo preventivo em função da maior concentração de foliões que estava prevista para a “quarta feira de fogo” puxada pelo bloco “Muriçocas de Miramar”.

Essas audiências deram resultados positivos, vez que houve reforço na ação preventiva contra os vândalos. Mesmo assim, esses destruidores de bens públicos agiram na noite/madrugada da “quarta feira de fogo” depredando vários ônibus do transporte coletivo de João Pessoa e colocando em risco a integridade física dos passageiros.

Oito janelas danificadas

Mais uma vez, mesmo já tendo ocorrido uma amenização nas ações dos vândalos em razão das medidas preventivas adotadas pelos órgãos competentes, mesmo assim, em relação a apenas uma empresa, a Marcos da Silva, que tem uma frota de apenas cerca de 40 ônibus, nada menos do que oito janelas foram danificadas, além de duas portas e um para-brisa traseiro, como demonstrado nas fotos.

Outras empresas, cuja frota total operante juntamente com a da Marcos da Silva soma 472 ônibus, também tiveram janelas, portas e para-brisas danificados. Esse levantamento total, entretanto, até o fechamento desta matéria, ainda não tinha sido concluído.

Novas notificações

Da parte do Sintur-JP, tão logo conclua o levantamento referente aos ônibus atingidos por mais esta ação de vândalos, a medida primeira a adotar corresponde fazer o encaminhamento do referido levantamento aos órgãos competentes, de forma mais específica à Semob e aos setores da Segurança Pública.

A adoção desta medida obviamente objetiva manter aqueles órgãos devidamente inteirados das ocorrências e para que especialmente reforcem as medidas em favor sobretudo da integridade física dos passageiros, que se sentem ameaçados e com medo dessas ações de vândalos.