Na eleição para o CRA-PB, Chapa 1 se diferencia pelas qualidades, diz Elinaldo Barbosa

30/09/18

“A pluralidade de identidade é primordial para a qualificação de um grupo e a Chapa 1 detém essas especificidades como: representatividade, expertise profissional,  mulheres guerreiras e representação de várias regiões”, afirmou o contador e ex-presidente do CRC-PB, Elinaldo Barbosa, referindo-se ao grupo que no próximo dia 17, disputará a eleição para o Conselho Regional de Administração da Paraíba

Ele acrescentou que esses aspectos elevam extremamente o nível de sua capacidade e confiabilidade perante a categoria, no sentido de que as ações desenvolvidas pela atual gestão não sofram solução de continuidade, a exemplo das fiscalizações avançadas, que ampliam e valorizam o ambiente de trabalho reservado aos profissionais da Administração.

Reconhecimento à boa governança

Elinaldo destacou que tendo sido o atual presidente Geraldo Rosa um executivo exemplar no setor privado, hoje ele dedica sua atenção e aplica suas experiências na promoção da boa governança junto ao CRA-PB, com benefícios patentes à classe a qual tão bem representa, fato reconhecido inclusive pela sociedade e por Instituições como a Câmara Municipal de João Pessoa, que recentemente lhe outorgou justo e merecido título de cidadania.

“Como profissionais, atuamos no mesmo campo com objetivos diferenciados, que unidos buscam a mesma finalidade, ou seja: a busca da melhor decisão para as Instituições”, lembrando que os contadores  atuam com funções especificas de registro e controle,  produzindo  informações das operações econômicas verificadas sobre o patrimônio das entidades públicas e privadas, que serão do conhecimento do administradores, que no  seu mister, tomarão as decisões mais apropriadas para a continuidade e engrandecimento da entidade.

A Chapa 1 é composta entre titulares e suplentes por Marcos Kalebbe, Ednaldo Flor, Thales Batista, Luciane Albuquerque, Rômulo Soares, Alexandre Ricarte, Tarcyo Tomires, Lourival Conrado, Elisa Aragão, Cícero Duarte, Everaldo Seixas, Hugo Brasil, Luciene Laranjeira e César Colque.

Sobre a APCA

Por fim, ele considerou a Academia Paraibana de Ciências de Administração, que tem à frente Mário Tourinho, passou a ser um instrumento incentivador científico e cultural, voltado a explorar e difundir conhecimentos teóricos e práticos da Administração, assim como preservar a memória de acontecimentos e de pessoas que contribuíram para o desenvolvimento da referida profissão.